Você está procurando uma técnica rápida, econômica e fácil?

Pois então aqui está! Existe uma técnica conhecida por “Batidinho”.

“Batidinho” é aquele tipo de técnica que vai bem para quem já pinta ou para quem nunca pintou.

Ela é boa também para vender, pois é econômica e dá boa produção por ser rápida.

Vamos começar?

Primeiro, pegue sua peça de MDF crua – não precisa lixar e nem selar com produto algum.

Você também vai precisar de:

  • 1 esponja (de lavar louça mesmo, um pedaço pequeno para não desperdiçar tinta);
  • 2 cores de tintas (acrílica ou PVA);
  • 1 bandeja, que pode ser aquela de isopor de frios, ou um azulejo velho, ou um prato (essas tintas são atóxicas e saem com facilidade, é só lavar logo após o uso) ou qualquer material não poroso;
  • 1 pincel macio;
  • 1 lixa.

Em nosso exemplo usamos a tinta branca de fundo, mas pode ser de qualquer cor a sua. Coloque um tanto da tinta que você quer usar de base na bandeja e com a esponja pegue bastante tinta e, com batidinhas, vá passando na peça, cobrindo ela toda, sem deixar nenhum vão sem tinta!

Não coloque muita força na mão, se não, ao invés de depositar a tinta no MDF você vai tirá-la!

A base dessa técnica é feita com apenas uma demão de tinta, não é para repetir o processo, por isso que é para colocar bastante tinta na esponja.

Esponja com bastante tinta!

Você pode deixar a peça secar naturalmente ou secar no sol, com secador ou com soprador.

Pegue agora a outra cor de tinta, a que vai por cima, e dilua em partes iguais de tinta e água, por exemplo, em um potinho misture 1 colher de sopa de tinta com 1 colher de sopa de água para pintar uma caixinha pequena de MDF, mas a quantidade de tinta vai depender do tamanho da sua peça! Use o próprio pincel que você vai usar para pintar para fazer a mescla da tinta com a água.

Molhe o pincel na mescla de tinta e água e passe no MDF de forma uniforme, a pintura não pode ser feita de forma muito lenta nem muito rápida, cuidado!

Peça antes de lixar

A dica para obter uma pintura bonita é não iniciar nem parar com o pincel no meio do trabalho, sempre inicie a pintura no começo da peça e só pare o pincel quando a peça acabar, mesmo que você precise repetir o processo, no caso de a tinta não ter sido suficiente.

Seque a peça da mesma maneira que você usou para secar a tinta base até que esteja bem seca!

Agora é a vez da lixa entrar na história! A idéia é lixar a peça, retirando um pouco da cor de cima, e mostrando mais a cor de baixo.

Para isso, pegue sua lixa (recorte um pedaço pequeno da lixa, para ajeitar melhor na mão), e lixe a peça com movimentos leves e circulares.

Você pode lixar mais ou menos, dependendo do seu gosto e do efeito que quer colocar na peça. Na foto seguinte você pode notar a diferença entre quantidade de lixamento, entre a metade da esquerda e a metade da direita.

Peça com a metade esquerda com menos e a metade direita com mais lixamento

Na escolha das cores que vão na base e por cima, sinta-se livre para escolher o que quiser, mas é bom que elas sejam contrastantes, use uma cor clara e uma escura, por exemplo, para que depois do lixamento a cor de base apareça!

Pronto!

É só isso! =D

Você pode incrementar as peças se quiser, por exemplo, na caixinha azul, foi feito um chanfrado nas bordas com pontilhados que imitam costura (essa técnica nas cores azul e branco dão um efeito de jeans!), no porta-chaves foi aplicada uma resina, mas você pode fazer decoupage também, use a imaginação!

Aproveite para lucrar com essa técnica, porque mudando as cores, parece até que mudou o jeito de pintar!

Até a próxima!!